Se a sua marca acabasse hoje, ela seria lembrada?

Se a sua marca acabasse hoje, ela seria lembrada? Essa é uma pergunta que a maioria dos empresários não faz a si mesmo, muitos por medo da resposta, muitos por simplesmente não se darem conta de que essa simples resposta pode mudar o rumo do seu negócio.

Mas como isso funciona na prática? Basicamente, ao se fazer esse questionamento, você pode começar uma reflexão, apurar dados sobre seu próprio negócio e acabar descobrindo que pode melhorar em alguns aspectos ou até mesmo atuar em outras áreas que sejam da vontade do seu público cativo.

Você já respondeu ou acompanhou os resultados de uma pesquisa de “Top Of Mind”? Basicamente, essa pesquisa diz respeito às marcas mais lembradas pelo público. Mas ela não avalia as marcas necessariamente mais consumidas, apenas aquelas que são as primeiras nas mentes dos brasileiros dentro de determinado segmento. A pesquisa acaba sendo bem confiável, pois não oferece alternativas ao entrevistado, apenas pede que a resposta seja a primeira marca que vem à cabeça, por exemplo: “Qual a marca mais lembrada quando se fala em refrigerante?” É muito provável que, automaticamente, a nossa resposta seja a Coca-Cola, mesmo que por muitas vezes nem seja o nosso refrigerante preferido, ou talvez nem mesmo sejamos consumidores.  Sendo assim, essa pesquisa nos mostra que, por mais que gostemos ou não de uma marca, se ela está no Top of Mind, vai fazer falta caso suma do mercado.

Esse tipo de reflexão pode ser capaz de gerar muitos insights e ideias inovadoras para o seu negócio, basta pensar que, se sua marca não vai ser lembrada, ela é apenas mais uma no meio da multidão, apenas mais uma opção que não tem nada a acrescentar em comparação ao concorrente, que apenas será uma da lista de escolhas que o consumidor final pode fazer. Mas calma, isso não significa que é preciso fechar as portas e começar de novo, comece a analisar a fundo o mercado regional, acompanhar as grandes referências do segmento e a tentar intensificar seus diferenciais. Mas lembre-se: bom atendimento e qualidade no produto / serviço são obrigações de qualquer empresa, talvez em casos muito específicos o atendimento impecável possa ser considerado um grande diferencial, mas na maioria dos casos, considere-o uma obrigação. A partir daí fica mais fácil de se chegar a novos insights bem mais interessantes do que apenas fazer mais do mesmo.

Por exemplo, imagine que você é dono de uma marca de roupas e vende peças de qualidade e faixa de preço similar a de vários concorrentes, porém, sua marca não tem diferenciação nenhuma, faz pouco investimento em propaganda e acredita que apenas as necessidades dos seus clientes de comprar roupas seja o suficiente para manter a sua loja estabilizada. Até aí, tudo bem, pode até ser que a saúde financeira da empresa esteja em plenas condições, mas e se por acaso aparece um concorrente que oferece aos seus clientes um atendimento diferenciado, com cafezinho, pãezinhos e brindes para todos os clientes? No primeiro momento, pode não parecer nada, mas é diferenciação de mercado, todas as outras lojas, incluindo a sua, fazem a mesma coisa e não servem o lanchinho especial, com exceção dessa, que oferece algo relativamente simples. Ao longo do tempo seus clientes podem pensar que, ao invés de comprar na sua loja que é apenas mais uma, podem começar a comprar na concorrente que vende a mesma coisa que você vende, com a diferença de que tem cafezinho.

Diferenciação de marca

O segredo para ter a sua marca lembrada é fazer ela ser diferente de todas as outras. Imagem: spisales.com

Então, se a sua resposta para a pergunta do título do texto é: “Não”, repense suas estratégias!

Uma boa forma de gerar novas ideias, além é claro, da observação dos concorrentes, sejam eles diretos ou indiretos, é a criação de um mindmap. E para criar um é relativamente simples, você só precisa de uma parede vazia e alguns blocos de post-it, de preferência de diferentes cores. A partir daí é tudo prático, teve uma ideia? Escreva num post-it e cole na parede, a única regra é diferenciar as cores para mais pessoas compartilharem suas ideias no mindmap. Com certeza, ao fim desse processo, pode ser que surjam bem mais do que apenas pequenas ideias de diferenciação. O exercício é bem simples e não demanda horas de reunião para se chegar a uma solução, se todo dia você e sua equipe colocarem uma pequena anotação na parede, certamente muito em breve terão uma solução bastante aplicável para sua marca se tornar mais relevante. O conceito básico é que, ao final do mapa, você tenha deixado apenas as ideias possíveis de se realizar. Isso não significa que você deve excluir as que demandam mais trabalho, mas assim você pode perceber que para se diferenciar não precisa de um rio de dinheiro e anos de planejamento, as vezes o cafezinho pode ser a solução!

 SOBRE O AUTOR