Neuromarketing: o que é e como funciona?

Neuromarketing o que é e como funciona

Apesar de recente, o neuromarketing vem conquistando cada vez mais espaço perante as empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Pode-se dizer que o neuromarketing chegou para desbancar mitos históricos e transformar a experiência do consumidor de maneira positiva. Quando falo em mitos, acredito que você já ouviu falar que o marketing apenas influencia as pessoas a comprarem por impulso, não é mesmo? Pois então, esse é um dos principais mitos que o neuromarketing faz cair por terra. Unindo ciência ao estudo do comportamento do consumidor, o neuromarketing é capaz de compreender as reais necessidades, estímulos, desejos e hábitos de compra de cada indivíduo para auxiliar nas estratégias de comunicação das empresas.

 

O que é neuromarketing?

Para realizar esse tipo de estudo é preciso, literalmente, entrar na cabeça do consumidor para entender o que ele realmente está precisando e assim poder ofertar produtos e serviços com cada vez mais assertividade e qualidade. Como isso é feito? Os estudos de neuromarketing vão além dos tradicionais e utilizam procedimentos científicos, como o eletroencefalograma e a ressonância magnética, para realizar análises a partir de estímulos criados dentro do cérebro e entendendo como ele reage aos estímulos de marketing neurologicamente. Isto significa que, a partir do uso desses recursos, você pode evitar que durante uma pesquisa de mercado os consumidores analisados sejam influenciados pela tomada de decisão do grupo, por exemplo.

O marketing e o relacionamento entre empresas e seus clientes estão se estreitando cada vez mais, possibilitando troca de informações e experiências valiosas e mudando a forma como o seu cliente vê a sua empresa. Quais são os valores da sua empresa ou do local onde você trabalha? Você está agindo no dia-a-dia em razão de um propósito, um objetivo? Você consegue transmitir isso aos seus clientes em todas as ações, produtos e serviços ofertados? Fique atento a essas questões, todas as ações intangíveis que você realiza dentro da sua empresa devem seguir por este caminho. Por que não entender como seus consumidores percebem a sua empresa através do neuromarketing?

 

Neuromarketing: Como fazer?

Agora que você já sabe o que é neuromarketing, acredito que ao ler o texto, provavelmente está imaginando em como aplicar estes conceitos, que são formados através de experimentos caros, dentro de uma pequena ou média empresa. De certa forma, realizar esses testes e análises de resultados em empresas de grande porte não se torna um problema, visto que existe uma grande chance de existir um departamento com milhares de pessoas focando seus esforços diários apenas para desempenhar esta função. Mas nós estamos aqui para mostrar o contrário! Você pode sim aplicar estes conceitos dentro da sua empresa, não importa o tamanho.

 

1 – Pesquise, aprenda e abra a sua mente!

Não se baseie apenas na sua forma de pensar ou na percepção de amigos próximos e parentes, informe-se! Não se deixe levar pelo opinião de um grupo seleto de pessoas, você precisa abrir a sua mente e estar preparado para entender o que realmente o seu consumidor almeja. Como fazer isso?

– Pesquise: Estude, procure artigos na internet em sites especializados ou em revistas renomadas, deixo duas ótimas fontes:  Meio & Mensagem e a Revista Exame são ótimas fontes de recurso.

– Procure por cases de pequenas empresas: não se prenda apenas ao seu próprio ramo de atuação, você pode aplicar com sucesso dentro da sua empresa, técnicas desenvolvidas para outro segmento, abra sua mente!

Procure informações diretamente da fonte: Universidades no exterior avançam cada vez mais dentro dos estudos do neuromarketing e comportamento do consumidor, por isso, não deixe de buscar referências em outros idiomas.

Pesquisa de neuromarketing

A pesquisa e a busca por informações é a chave para uma estratégia de neuromarketing de sucesso. Imagem: websquare.co.uk

 

2 – Entenda seu público

Como citei acima, compreender os propósitos da experiência entre sua empresa e seu cliente, garante o engajamento de seus colaboradores e é fundamental para transmitir a real razão de existência da sua empresa, desta forma, você consegue conquistar os clientes certos, que se identificam com seus propósitos e serão fiéis a sua marca. A partir disto, crie a sua persona, que é o conjunto de características que formam o consumidor do seu produto ou serviço, personificadas em um personagem fictício. Responda questões como: faixa etária, renda, hábitos, profissão, hobbies, desejos, etc. Você irá literalmente criar uma pessoa, dar um nome para ela e fazer com que suas ações sejam pensadas para ela. Se você quer saber mais sobre as personas, clique aqui e leia este post.

Depois de criadas as personas e descobrir quais são as suas principais dores, o pensamento do neuromarketing vai possibilitar que você busque compreender aspectos que afetam a maior parte dos sentidos da persona, focando em ações emocionais e concentradas em aliviar a estresses e enfatizar o prazer. Por isso, da próxima vez que realizar uma ação promocional dentro da sua empresa, pense em como englobar o maior número de sentimentos possíveis. Melhorando cada vez mais a experiência entre a sua empresa e seu cliente.

 

3 – Caminhos que você pode seguir

Os caminhos são variados, um verdadeiro leque de opções e exemplos para você se inspirar e soltar a imaginação. Selecionei algumas ações relativamente fáceis e práticas que você pode adotar dentro da sua empresa, mas que não deixam de demandar planejamento e não eliminam nenhuma das etapas citadas acima!

 

– Storytelling: como o próprio nome diz, é uma história que você vai contar. Dependo da finalidade e local onde você utilizar essa técnica, você pode contar a história da sua empresa, do seu produto ou serviço, mas não de uma maneira muito comercial e sim de maneira envolvente, com conteúdo. Não esqueça de atribuir sentimento e emoção à sua história: compartilhe de uma dificuldade e como ela foi solucionada, mostre que mesmo sendo uma pessoa comum você conseguiu vencer barreiras e superar desafios, seja o herói e mostre que você fez apenas o que deveria ter sido feito mas ninguém antes tinha ousado. Inspire-se.

 

– Cores: diversos artigos, infográficos e até mesmo aplicativos de celular mostram como a influência das cores impactam na hora da decisão de compras, utilize-as de maneira correta. Primeiro entenda qual sensação você deseja transmitir e depois escolha quais cores você irá utilizar. Você pode aplicar isso para as cores dentro da sua loja, em seu site, produtos, flyers, basicamente tudo.

Clique aqui e veja um infográfico bem legal sobre o assunto.

 

– Fragrâncias: sabe aquele cheirinho bom que você sente quando passa pela loja da Mmartan? Essa fragrância foi desenvolvida exclusivamente para a loja e é até patenteada, sendo comercializada com a mesma marca. As sensações que você vai ativar a partir do olfato são as lembranças que você vai proporcionar ao seu cliente. O chamado “marketing olfativo” cresce e muito no Brasil e no mundo, portanto, dê um “cheiro” ao seu negócio para trabalhar o neuromarketing.

mmartan marketing olfativo neuromarketing

As lojas mmartan são um ótimo exemplo de neuromarketing que utiliza fragâncias. Imagem: brasiliashopping.com.br/

– Pense no ambiente: além das cores e fragrâncias, outros fatores do ambiente como a iluminação, forma de atendimento dos funcionários, disposição dos móveis, “mimos” diferenciados como uma água e um cafezinho: tudo deve estar pensado para o trajeto de compra do seu cliente! Inclusive, esses aspectos também se aplicam ao ambiente virtual: como é a disposição de informação dentro do seu site? Ele é fácil de usar? Não possui informações desnecessárias? Faltam informações para o cliente efetuar a compra? A experiência on-line também deve ser positiva e não causar transtornos, afinal de contas, você não gosta de entrar em um site onde não consegue clicar nos links por estarem muito próximos, ou odeia quando não acha a informação que precisa, não é mesmo?

 

– Atente para a linguagem corporal: depois de realizar um estudo mais aprofundado sobre as questões acima, não deixe de levar em consideração a linguagem corporal do seu cliente, ensinando sobre o tema para todos os colaboradores que mantenham contato com o consumidor, entendendo as pequenas ações de aprovação ou reprovação. Não se esqueça: o processo de aperfeiçoamento é contínuo!

 

Entendeu agora como a fragrância inconfundível de marcas como MMartan ou O Boticário agora fazem sentido toda vez que você passa na frente dessas lojas? Nada é por acaso, quando tentamos entender nosso consumidor e conquistá-lo, é o neuromarketing cada vez mais desafiando os paradigmas e despertando uma nova era de experiência entre a sua empresa e seu cliente.

 

Se você quer ajuda para implementar ações que trabalham o neuromarketing dentro da sua empresa, fale com a gente!

 SOBRE O AUTOR
Graduanda em produção publicitária, mídia e planejamento na yard. agência de publicidade.