Marketing verde, a importância da informação e da elaboração no processo e descarte de um produto

Já ouviu falar em marketing verde? Já recebeu algum cartão de visita feito com papel reciclado? O que achou dessa diferenciação? Já parou para pensar em quanto tempo o produto que você usa diariamente será descartado ou apenas deixa ele na lata de lixo e não se preocupa mais? 

Estas perguntas já vêm sendo formuladas e respondidas nos últimos anos, a preocupação com o descarte do produto não fica mais nas latas de lixo do quintal do consumidor, que está se preocupando com a realidade  da preservação ambiental que estamos vivendo, o marketing verde. 

O meio em que vivemos está pedindo atenção ao marketing verde cada vez mais, devido as catástrofes ambientais, politica, sociedade e sociais. Estas preocupações afetam diretamente o consumidor, que se sensibiliza e quer saber o que está acontecendo ao seu redor. O consumidor moderno gosta de saber que ele pode ajudar de alguma maneira, seja fazendo uma compra que será revertida à projetos sociais, ou optando por produtos que não prejudicam o meio ambiente.

O marketing verde espera promover mudanças como: fornecer informação de produção, alterar valores da sociedade para aumentar a preocupação com o respeito ambiental, estabelecer comportamentos que revertam atitudes que prejudique o meio ambiente, entre outros.

Segundo Boone&Kurtz (1995), o marketing desempenha um papel importante na sociedade, por ser a interface final entre a empresa e o público com o qual interage, retratando as mudanças no mundo dos negócios e atuando frente às diversas questões sociais que permeiam a sociedade. Nesse cenário nasceu o marketing ambiental, também chamado de marketing ecológico e marketing verde. Existem algumas teorias da sua criação, a mais citada refere-se ao início da década de 70 em que começou a crescer o movimento ambientalista com a criação de organizações não-governamentais (ONGs), como a WWF e o Greenpeace, essas organizações têm em comum a estreita relação com a imprensa e o objetivo de preservar o meio ambiente e a saúde de todos que nele estão inseridos. 

WWF JUST: Uma embalagem contra embalagens! Campanha criada pela WWF para alertar sobre o uso excessivo de embalagens que prejudicam o meio ambiente.

Alguns dados relevantes sobre o marketing verde:

  • De 2010 a 2012 houve um aumento de 44% para 60% do número de brasileiros que já ouviram falar o termo “sustentabilidade”, portanto, a informação começou a se proliferar. Podemos atribuir isso ao fácil acesso à internet, às redes sociais e outros meios mais segmentados.;
  • Também aumentou, de forma considerável, o número de pessoas que buscam informações sobre o tema, passou de 14% para 24%;
  • Apenas 12% daqueles que ouviram falar em sustentabilidade sabem, de forma correta, o que o termo quer dizer, isso indica que é preciso uma campanha de educação, principalmente de consumidores. 
  • 3 em cada 10 brasileiros levam em consideração na hora da compra, o chamado consumo consciente. 
  • Sobre o consumo consciente, 32% dos que participaram da pesquisa se dizem iniciantes nessa “arte”. Já aqueles que se dizem engajados nessa causa, somam 22%. Porém, de todos que responderam a pesquisam, apenas 5% se dizem conscientes. 
  • 90% dos entrevistados têm o habito de desligar lâmpadas, eram 88% em 2010.  90% também é o mesmo percentual de pessoas que se preocupam em fechar as torneiras, sendo que em 2010 eram 86%.  

Isso demonstra que a preocupação com o meio ambiente já vem sendo estudadas por muitos consumidores, também havendo mais diálogo com os que ainda não tem esse hábito.

Naturalizando: Natureza em alta com Natura EKOS.

O marketing verde também é baseado nos 4P’s do marketing (produto, preço, praça e promoção). Umas das empresas mais conhecidas entre os brasileiros, que busca passar total informação sobre seus produtos e processo produção é a empresa Natura. Ela passa uma mensagem de total responsabilidade com o meio ambiente, e mostra que seu produto busca a formula da natureza e não é totalmente química.

Isso acontece até mesmo por pressão dos consumidores, que deixam de comprar quando os produtos ou embalagens prejudicam o meio ambiente. Outra vantagem, que visa a busca dessa sustentabilidade, é a pressão governamental. Existe o Protocolo Verde, por exemplo, que libera crédito para empresas que realizam este tipo de ação. 

O marketing verde terá um papel importante para o futuro, no sentido de promover modos mais sustentáveis de se viver e consumir. Produtos naturais, embalagens reaproveitadas, maior acesso por parte do consumidor, preço compatível e justo (visto que a produção por reciclagem requer um tempo maior, até mesmo pelo recolhimento do material), maior evidência na mídia, entre outros. É importante também levar em consideração que o cliente gosta de transparências, visto que se ele se sente enganado, ele simplesmente deixará de comprar.  Portanto, é preciso ser honesto ao adentrar o universo do marketing verde.

Leia também: Até grandes empresas erram em seu posicionamento de marketing.

 

 SOBRE O AUTOR
Graduada em produção publicitária, diretora de arte da yard. agência de publicidade.