Como aproveitar o Big Data para criar um planejamento de mídia diferenciado

Como aproveitar o Big Data para criar um planejamento de mídia com ações diferenciadas

A grande pergunta para a leitura deste artigo é: sua empresa está preparada para utilizar as informações que os clientes fornecem todo dia na internet e transformá-las em um planejamento de mídia eficaz? Isso também é conhecido como big data.

Agora, pare por um minuto e reflita:

– Qual seu primeiro pensamento ao abrir os olhos? Você já parou para pensar nisso?

– No desenrolar do seu dia qual a quantidade de informações que você recebe até a hora do café da manhã?

– Você pega o celular para ver que horas são, mas já aproveita para dar uma olhada nas redes sociais e em algum portal de notícias?

Tenho quase certeza que você respondeu afirmativamente para todas ou quase todas as questões anteriores. Afinal, todo mundo precisa se manter informado. Principalmente se o seu trabalho envolve, de alguma forma, melhorar e surpreender a experiência para clientes.

A sua empresa está preparada para utilizar as informações que seus clientes recebem diariamente? Ou então, vamos pensar por outro ângulo, mais relevante para o momento em que vivemos: a sua empresa está preparada para aproveitar as informações que seus clientes fornecem? Você consegue imaginar um planejamento de mídia a partir dessas informações? O ambiente digital proporciona cada vez mais um maior número de dados referente aos hábitos de consumo, preferências, desejos e, porque não, sonhos dos consumidores. Cabe a cada empresa entender como transformar estes dados em informações chave para o negócio e assim oferecer uma experiência para o cliente.

Big data

Há muita informação disponível sobre os seus clientes. Através do avanço do marketing digital, isso está muito mais acessível atualmente. Imagem: saudebusiness.s3.amazonaws.com

Os consumidores estão cada vez mais informados

Consumidores informados exigem cada vez mais experiências satisfatórias em qualquer ambiente, tanto em uma loja virtual, quanto nas lojas físicas. Sua jornada de compra está sujeita a constantes modificações, isso devido às novas formas de compra e experiências pelas quais eles vivenciam e querem vivenciar.

As informações que buscam, seja antes de dormir ou ao acordar, são dados riquíssimos para que as empresas proporcionem tais experiências e assim consigam conquistar mais consumidores que se identifiquem com sua marca e com seu estilo de vida.

“Isso significa que a partir de agora devemos focar todos nossos esforços apenas nas mídias digitais para obter informações? Não!”

Significa que esta é a mídia com fonte de dados mais completos e com retorno mais rápido de dados. Para que assim você crie uma base de informações consistentes sobre o seu público-alvo, possibilitando tomadas de decisões mais certeiras, que podem ser executadas tanto no online, quanto no offline. Por isso, a informação do momento é: saiba transformar os dados (big data) em informações úteis para o seu negócio e proporcione experiências surpreendentes aos clientes. Uma forma de fazer isso de maneira eficiente, é aproveitando as informações big data nos planejamentos de mídia, que normalmente são feitos ao contratar uma agência de publicidade para trabalhar em campanhas.

Planejamento de mídia em agência de publicidade
Planejamento de midia

O planejamento de mídia é a principal ferramenta para determinar os rumos de uma comunicação integrada. Imagem: foundationadvertising.com

Afim de proporcionar uma experiência para o cliente, dentro de uma agência de publicidade, a elaboração do plano de mídia leva em consideração etapas carregadas de informações adquiridas dos mais diversos meios. É dessa forma que o planejamento de mídia é feito:

– Primeiro passo: a reunião inicial da agência com o cliente tem como objetivo elaborar o briefing. Procura-se entender aspectos como expectativas do cliente, a maneira como trabalha, como é seu relacionamento com o público-alvo da empresa, trabalhos já desenvolvidos e, basicamente, todos os dados relevantes para a criação de campanhas publicitárias ou de criação de marcas. O briefing caracteriza a etapa fundamental de todo o planejamento, pois é a partir destas informações que serão realizadas as próximas etapas e a agência pode utilizar de forma eficiente a verba disponível para criar ações.

Segundo passo: É a análise de mídias, aqui investigamos as informações citadas no começo deste artigo. Procurar entender as necessidades e desejos do público-alvo é fundamental, mas nunca se esqueça de encontrar o que ele está procurando de verdade! Parece confuso? Calma, está tudo sob controle, literalmente. Existem plataformas digitais que oferecem estes serviços para que você possa analisar dados e mensurar suas ações em tempo real. Isso significa que agora você possui um universo de informações ricas em torno do seu público-alvo, você pode visualizar o que seus consumidores estão procurando, quais os assuntos mais comentados, como interagem entre si, o que sentem, suas expectativas e até mesmo experiências que presenciaram com seus concorrentes. Percebeu que estamos com a galinha dos ovos de ouro em mãos?

“O marketing digital possibilita que você acompanhe a reação das pessoas e possa tomar decisões baseadas em dados para continuar na mesma linha de pensamento ou mudar sua estratégia, tudo isso em poucos cliques!”

– Terceiro passo: agora é hora de pensar no cronograma de mídia: quais ações estratégicas serão realizadas, em quais veículos de comunicação a execução será feita e qual será a periodicidade, todas essas decisões são feitas de acordo com a verba disponível, sempre pensando no público-alvo em primeiro lugar. Lembre-se: experiências positivas para o cliente geram identificação com a marca. Nesta fase do plano de mídia, utiliza-se planilhas de controle, que identificam de forma clara e objetiva o que, como, quando e onde será realizada cada ação.

– Quarto e último passo: Agora é o momento de colocar a mão na massa. Mas apenas colocar o plano para rodar não significa que o trabalho está concluído, você deve monitorar de perto as ações. Esteja pronto para fazer alterações no meio do caminho, isso é natural e provavelmente vai acontecer. Mas não se preocupe, essas alterações servirão para aperfeiçoar ainda mais sua estratégia. Além de garantir que tudo ocorra dentro conforme planejado.

Apesar do turbilhão de informações que você irá receber através do big data, não esqueça de tratar seu público como indivíduos únicos. As experiências que você irá proporcionar são a chance da sua marca se conectar com as pessoas e até mesmo reforçar a individualidade de cada um, através de ações que os façam sentir-se valorizados.

Caso seu objetivo final seja proporcionar um atendimento de excelência aos seus clientes, crie um ambiente dentro do seu negócio que propicie o alcance deste objetivo, indo de acordo com o que foi estabelecido no plano de mídia. Trace metas, métricas de avaliação, treinamentos, invista em sua equipe, seja no ambiente virtual ou físico, ambos devem andar de mãos dadas. Comunique-se. Por isso, engaje sua equipe a partir de seus valores e projeções futuras, para que todos realizem suas tarefas diária guiadas para o mesmo propósito. A partir desta preparação interna, você poderá desfrutar da sinergia de informações e apresentar uma experiência de valor ao seu consumidor final.

 SOBRE O AUTOR
Graduanda em produção publicitária, mídia e planejamento na yard. agência de publicidade.